quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Categoria: Melhor Ator e Melhor Atriz



INDICADOS:
- Colin Firth, por “Direito de Amar” (2009)
- George Clooney, por “Amar sem Escalas” (2009)
- Jeff Bridges, por “Coração Louco” (2009)
- Jeremy Renner, por “Guerra ao Terror” (2008)
- Morgan Freeman, por “Invictus” (2009)

Se na categoria de Melhor Atriz, o ano foi das novatas, o inverso aconteceu na categoria equivalente aos atores. Entretanto, o fato de o Oscar de 2010 ter refletido as outras premiações não mudou. Isso tanto é verdade que os indicados aos Academy Awards, ao Golden Globe, ao SAG Awards  e ao Critic’s Choice Awards são praticamente os mesmos.

Para efeito de demonstração,  Jeff Bridges concorreu por "Coração Louco" no Oscar, no Globo de Ouro, no prêmio do Sindicato de Atores e no prêmio dos Críticos e ganhou todos. George Clooney,  Colin Firth e Morgan Freeman também concorreram em todas essas premiações. As poucas divergências ficaram por conta de Jeremy Renner, que só não concorreu no Globo de Ouro, dando espaço para Tobey Maguire (“Entre Irmãos”, 2009) entrar na disputa, e Viggo Mortensen que disputou o Critic’s Choice Awards por “A Estrada" (2009), uma vez que, nessa premiação, seis atores foram indicados.

Voltando ao Oscar, podemos começar falando do vencedor. Jeff Bridges é um veterano no mundo do cinema e no mundo da música, o que o tornou perfeito para personificar um cantor country em decadência em "Coração Louco". Só no Oscar, já era sua quinta indicação, uma vez que havia concorrido três vezes na categoria de Melhor Ator Coadjuvante – por “A Última Sessão de Cinema” (1971), “O Último Golpe” (1974) e “A Conspiração” (2000) – e uma vez na categoria de Melhor Ator – por “Starman – O Homem das Estrelas” (1984) –, categoria na qual ainda concorreria em 2011, pela sua interpretação no filme “Bravura Indômita” (2010.

Se pudermos falar em um profissional cinematográfico que abarca em si diversas qualidades, esse, com certeza, seria George Clooney.  Em sua trajetória nos prêmios da Academia, 2010 também marca sua quinta indicação – fora indicado em 2006 pelo roteiro e direção de “Boa Noite e Boa Sorte” (2005) e pela interpretação como ator coadjuvante, pelo qual ganhou, no filme “Syriana – A Indústria do Petróleo” (2005), e em 2008, como protagonista de “Conduta de Risco” (2007). Em 2012, conquistaria mais duas indicações, nas categorias de Melhor Ator e de Melhor Roteiro Adaptado, respectivamente pelos filmes “Os Descendentes” (2011) e “Tudo pelo Poder” (2011).

Colin Firth, que também já está acostumado à tela grande, só ganhou reconhecimento recentemente, embora já tivesse sido indicado em outras categorias em outras premiações. No Oscar, "Direito de Amar" rendeu sua primeira indicação ao prêmio, que seria conquistado no ano seguinte, quando foi novamente indicado por “O Discurso do Rei” (2010). Morgan Freeman também é outro gigante do cinema. Com uma carreira consolidada, neste ano, Freeman recebeu sua quinta indicação ao Oscar sendo que ele já havia sido premiado em 2005 por sua atuação coadjuvante em “Menina de Ouro” (2004). Por fim, temos o novato da categoria. Jeremy Renner recebeu sua primeira indicação por "Guerra ao Terror" e no ano seguinte foi novamente indicado, mas dessa vez na categoria de Melhor Ator Coadjuvante, por "Atração Perigosa" (2010).


INDICADAS:
- Carey Mulligan, por “Educação” (2009)
- Gabourey Sidibe, por “Preciosa – Uma História de Esperança” (2009)
- Helen Mirren, por “A Última Estação” (2009)
- Meryl Streep, por “Julie & Julia” (2009)
- Sandra Bullock, por “Um Sonho Possível” (2009)

No ano de 2010, como de costume, tivemos as cinco indicadas que mais se destacaram – de acordo com a Academia – na categoria de Melhor Atriz. No último ano da primeira década do século XXI não podemos dizer que tivemos muitas surpresas. Se cruzarmos a lista de indicadas ao Oscar com a de outras premiações importantes, não teremos grandes mudanças.

No SAG Awards de 2010, as indicadas são exatamente as mesmas que a da edição do Academy Awards, sendo Sandra Bullock vencedora do prêmio. Por sua vez, no Globo de Ouro, houve uma mudança que somente se deu pela dinâmica da premiação. Na categoria de Melhor Atriz de Drama, temos Sandra Bullock, Helen Mirren, Carey Mulligan, Gabourey Sidibe e Emily Blunt, (esta indicada por "A Jovem Rainha Victoria", 2009) enquanto  Meryl Streep concorria na categoria de Melhor Atriz de Musical ou Comédia - não só por "Julie & Julia", mas também por "Simplesmente Complicado" (2009) - tendo Bullock e Streep (por "Julie & Julia") conseguido o prêmio por suas respectivas categorias.

Pois bem, no Oscar - e como visto acima na maioria das premiações - 2010 foi o ano das novatas, sendo que das cinco, três nunca haviam sido nomeadas.  Gabourey Sidibe – em sua primeira indicação – tem um currículo muito pequeno, sendo "Preciosa – Uma História de Esperança" seu único destaque. Atualmente ela está no elenco da série "The Big C" (2010), que conta com Laura Linney no papel principal. Carey Mulligan – outra novata, mas que ganhou o BAFTA por sua Jenny Miller – já fez parte de "Orgulho e Preconceito" (2005), mas foi depois de "Educação" que ela se tornou mais conhecida do público, tendo participado posteriormente de filmes como "Entre Irmãos" (2009) e "Drive" (2011).
Sandra Bullock – estreante no Oscar –, já tinha uma carreira consolidada, foi, inclusive, a primeira mulher que, somente por constar seu nome no filme, garantiu ao longa arrecadar mais de U$ 200 milhões, fato esse que pode ter pesado na hora de premiar a atriz. Conhecida por filmes mais superficiais, em 2010, ela foi vencedora do Oscar, do Globo de Ouro, do SAG Awards, e do Critic's Choice Award, só para ficar nos principais.

Helen Mirren, uma grande veterana nas premiações já havia sido indicada aos Academy Awards por 3 vezes: em 1995 e em 2002 como Melhor Atriz Coadjuvante por “As Loucuras do Rei George” (1994) e “Assassinato em Gosford Park” (2001) e em 2007 como Melhor Atriz, por “A Rainha” (2006), sagrando-se vencedora. Por fim, temos um dos maiores ícones do cinema mundial: Meryl Streep. Ela já havia sido indicada 16 vezes e recebera duas vezes o prêmio – em 2012, com sua 17ª nominação, recebeu também o seu 3º Oscar. Vale também comentar que essas duas atrizes – Mirren e Streep – já haviam disputado a estatueta três anos antes, quando concorriam respectivamente por “A Rainha” e “O Diabo Veste Prada” (2006), tendo Helen Mirren saindo como vencedora.

Estava claro que a grande disputa da noite era entre Streep e Bullock, mas foi Sandra que acabou levando o seu primeiro Oscar, na sua primeira indicação, para casa. É interessante citar que Sandra Bullock foi a primeira intérprete a conquistar o Oscar e o Framboesa de Ouro (pela sua participação na comédia “Maluca Paixão”, de 2009, a qual ela também produziu) no mesmo ano.


por Renan do Prado Alves



Um comentário:

Serginho Tavares disse...

detesto Jeff Bridges! todos os outros atores mereciam mais que ele
e quanto as atrizes acho que Sandra estava bem no fime mas Carey Mulligan, por “Educação” e Helen Mirren, por “A Última Estação” mereciam bem mais!